Saiba mais
Idioma
Menu
Menu
Idioma

Muitos negócios, esporte e experiências para toda a família: Brasil Cycle Fair se consolida como maior feira de bicicleta no país

Oportunidades de negócios, visibilidade, experiências e competições oficiais são alguns dos diferenciais do novo formato do evento, que pela primeira vez teve área dedicada ao público final

A Brasil Cycle Fair 2017 chegou ao fim com sentimentos em comum compartilhados por quem participou: satisfação e realização por fazer parte de um evento que valorizou tanto a cultura da bicicleta. Foram três dias intensos com lançamentos das principais marcas do mercado, competições de mountain bike e BMX, test rides de cerca de 1.000 bicicletas e diversas atividades para toda a família, no São Paulo Expo. Com mais de 70.000 m², 300 marcas expositoras e ações específicas para B2B e B2C, a feira entregou muito entretenimento e negócios para os quase 16 mil participantes, entre lojistas, distribuidores, fabricantes, profissionais do setor, atletas e amantes da bike.

Tanto o público visitante quanto expositores se mostraram satisfeitos com o novo formato da feira, repleta de atividades outdoor. A aproximação do público com o universo ciclístico e a possibilidade de ver de perto e até testar algumas das principais novidades do mercado foram o ponto alto. Ao todo, durante os três dias de evento, foram registrados mais de 1800 testes de bicicletas, de diversos modelos, levando muita experiência para os consumidores. Os admiradores puderam pedalar pela pista urbana e também pela de mountain bike, realizada na área do Jardim Botânico, e tiveram que mostrar toda sua habilidade sobre duas rodas.

“A Brasil Cycle Fair deste ano conseguiu trazer um público extremamente qualificado. De todos os eventos que já participei, é a primeira feira que eu vejo no Brasil que consegue conciliar de uma maneira harmônica os dois públicos, tanto o consumidor quanto os profissionais, e de um jeito muito assertivo”, comentou Giuliano Bertazzolo, coordenador de marketing da Thule.

A marca brasileira Audax, que patrocina importantes atletas do universo da bike, também saiu satisfeita com a participação tanto na área interna quanto externa. “Estamos muito felizes em participar da Brasil Cycle Fair. Este é nosso primeiro ano e a marca Audax é nova também, possui apenas um ano e meio. Uma feira como esta é muito importante, porque junta o setor e os lojistas pelo Brasil. O público final, usuário da bicicleta, também é importante para nós, pois eles fazem o nome da marca e, ter a oportunidade de testar a bike, faz com que eles vejam a qualidade dos produtos”, explica Túlio Bezerra, superintendente da Audax.

A opinião deles é compartilhada pelos visitantes, que aproveitaram o final de semana para visitar o evento com amigos e família. “Vim à feira especialmente para conhecer as novidades e ver de perto algumas coisas que já conhecia pela internet. Ter esta parte externa e poder testar os produtos foi um grande acerto, porque conseguimos ver mais das bikes, das roupas e dos acessórios, que são coisas que nem sempre conseguimos nas lojas. Fora que acompanhar o festival como um todo com a namorada e os amigos foi muito legal”, comentou Gabriel Alves, de 26 anos, que saiu de Bragança Paulista-SP.

Outro ponto alto do evento foram as competições de BMX e Mountain Bike, importantes etapas para pontuação do ranking brasileiro das modalidades. Quem levou a melhor nesta etapa do Campeonato Brasileiro de BMX Super Spine foi Douglas Leite, mais conhecido como Doguete. As manobras radicais, de quase dois metros de altura, impressionaram a plateia. Já na área de Mountain Bike, quem roubou a cena foi a Copa Internacional Levorin de Mountain Bike, que reuniu cerca de 500 atletas e levantou o ânimo dos espectadores. Letícia Cândido e Luiz Henrique Cocuzzi foram os campeões da etapa. Henrique Avancini e Letícia levaram a melhor no campeonato e conquistaram o prêmio.

Esta foi a primeira vez que uma etapa do campeonato aconteceu em São Paulo, que tradicionalmente é realizado em Minas Gerais. A prova aconteceu no Jardim Botânico de São Paulo, que também nunca tinha sediado um evento esportivo como este. A área foi revitalizada para a passagem dos atletas e, como forma de incentivar a preservação do meio ambiente, novas árvores serão plantadas na região da Serra da Cantareira.

Rogério Bernardes organizador da Copa Internacional Levorin de Mountian Bike, saiu feliz com o resultado da competição, que atraiu tantos admiradores e atletas do mountain bike. “Foi o que eu sonhava. Tudo deu certo e todo o planejamento saiu como esperado. Nós temos a nossa esquipe, que já sabe o trabalho técnico para atender aos atletas, mas com o apoio da NürnbergMesse Brasil foi espetacular. O balanço é que ano que vem nós estamos de volta, não tem mais como ficar de fora. A pista foi muito elogiada e os atletas gostaram muito”, finaliza Rogério.

Negócios
Além da exposição dos produtos e da possibilidade de testes de centenas de bicicletas, um dos objetivos da Brasil Cycle Fair foi estimular o mercado nacional. Lançamentos de produtos, apresentação de novas linhas e coleções de roupas e bicicletas e até o lançamento de marcas dentro do mercado brasileiro tiveram espaço de destaque na edição 2017 do evento. Foi o caso da marca francesa Tropix, que chega agora ao mercado nacional e aproveitou a feira realizada no São Paulo Expo para apresentar as bicicletas da marca ao público brasileiro.

“Ficamos muito satisfeitos com a nossa participação na feira. Conseguimos atingir todas as nossas metas de lançamento, além de ter o reconhecimento do público. Mas o mais importante foi a interação com as pessoas: nossas bikes tiveram uma ótima aceitação, nossos designs e as opções de cores”, explicou Guilherme Santos, CEO da Tropix.

Para outros expositores, a combinação da área exclusiva de negócios dentro do pavilhão com a exposição dos produtos na área externa foi o grande diferencial da Brasil Cycle Fair. Desta forma, foi possível atender às expectativas de quem foi ao evento puramente para negócios e quem estava interessado também em estreitar o contato com o público consumidor.

“Essa ideia do formato externo agrada demais. Poder ter tanto uma área externa quanto a interna com um espaço amplo, agradável e de fácil acesso foi excelente. Além de ter uma estrutura com test ride, atividades para crianças, a participação da Copa Internacional de MTB... É uma estrutura de nível mundial, um evento de nível europeu. A Brasil Cycle Fair atendeu totalmente nesta edição algo que o mercado brasileiro estava querendo faz tempo”, analisou Sérgio Gallo, diretor da brasileira Groove Bikes.

Atividades para a família
É claro que os negócios são parte importante de qualquer mercado, mas todo segmento precisa de uma série de ações para estimulá-los. Compreendendo esta situação, a Brasil Cycle Fair 2017 contou com uma série de atividades que dialogam diretamente com o universo da bicicleta.

A interação com o público pode ser vivenciada em diversos pontos na área externa do evento. Além das quase 1.000 bicicletas disponíveis para teste, tanta em trilhas de mountain bike quanto no asfalto, teve as arenas Kids, Cultural, Handmade, Bike Ajuda (em parceria com a Escola Park Tool), das ações no palco como o Cycle Talks e a escolha do Bicycle Mayor de São Paulo-SP, além do Desafio Slow Rider disponíveis para o público final. Os profissionais do setor puderam participar da Sessão de Negócios e do Giro de Ideias, ações em parceria com o Sebrae-SP e do Tech Cycle Challenge.

“A Brasil Cycle Fair acertou em cheio no formato esse ano. Foi uma feira muito gostosa de estar, tinha família, lugar para sentar e comer, para as crianças brincarem, passear, pedalar, vários tipos de produtos expostos... Foi um passeio que cobria todo tipo de pessoas e toda a família, foi 100% assertiva, sucesso total. Sem dúvida foi um dos pontos altos da feira dar essa oportunidade de contato com o público final”, explicou Marina Richwin, gerente de marketing da Specialized.

Veja o vídeo com os melhores momentos da Brasil Cycle Fair 2017: